A carta de Paula Hartung que confirma a previsão deste jornalista

Anúncios

A carta de Paulo Hartung que confirma a previsão deste jornalista

Paulo Hartung confirma ser candidato a governador do Espírito Santo



“Tenho discutido com lideranças a tese do PMDB ter candidatura própria para enfrentar os desafios e os gargalos que hoje prejudicam o desenvolvimento do ES”. Esta declaração faz parte do comunicado do ex-governador Paulo Hartung (PMDB-ES) para desmentir o mercado político de sua decisão de disputar a sucessão de Renato Casagrande (PSB).

O comunicado (04) muito bem preparado almeja – para não afastar os correligionários do entusiasmo do lançamento do seu nome na data certa do calendário eleitoral-  ganhar tempo para consertar algumas trincas, como acalmar a reação destemperada do senador Ricardo Ferraço (PMDB) que assustou até o vice-presidente Michel Temer ao defender a candidatura do atual governador.

Quando Hartung defende candidatura própria do PMDB, em sintonia nacional, e critica frontalmente Renato Casagrande dizendo que existem “desafios e gargalos que hoje prejudicam o desenvolvimento do ES”, está confessando sua disponibilidade para ser o protagonista do PMDB para esta tarefa. Ou seja, é candidato a governador do Espírito Santo.



Só Magno Malta pode virar o jogo sucessório do ES


Acerca de todas as declarações, agora, mais afirmativas da candidatura de Paulo Hartung (PMDB-ES) ao governo do Estado, só existe um elemento surpresa que mudaria o plano estratégico do PMDB e PT: chama-se Magno Malta, senador pelo PR que tem sonho em se candidatar a presidente da República.

Somente com o dinheiro em caixa, muito dinheiro mesmo tem, para distribuir aos prefeitos não garante a reeleição do governador Renato Casagrande (PSB). Sem carisma, com governo razoável para ruim, sem digital e com PMDB e PT fora de suas alianças,é mais do que temerária qualquer teimosia. Sua reeleição seria uma aventura.

Mas, como mencionei no início do texto, numa possibilidade de aliança com Magno Malta – discriminado pela elites do ES, desdenhado pela Imprensa capixaba-  somente ele, poderia dar uma virada de mesa. Não sou psicólogo político, mas Hartung sempre teve medo desse espectro de origem baiana. Os votos do republicano parecem vir pelo vento. Ressuscita como fênix, do nada.

E Magno Malta, pelo que conheço, pode está afeito a um acordo com o governador, desde que na aliança a reeleição de sua esposa, Lauriete (PSC-ES) esteja incluída. Senão, nada feito. Hartung só tem um adversário no Estado, desligado de quaisquer agenda do mercado: ele responde pelo nome Magno Malta. E não precisa formar chapa, não! Basta a eleição fica formatada em três candidaturas. Hartung, acho, levaria a pior. Ficar a dica!


 

 

Ricardo Ferraço está mais preparado do que todos


O senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) é o mais preparado político para ser o governador de todos os capixabas já nas próximas eleições. Moderno, preparado, pragmático e o único conhecedor do poder da era digital para reformatar o novo sistema republicano do Estado para atender a demanda da geração desta nova era. Os demais estão atrasados.

Em evento da Fundação Ulisses Guimarães, promovido pelo PMDB na Câmara de Vereadores em Cachoeiro-ES, o palestrante principal Paulo Hartung (PMDB) foi ovacionado como futuro governador do Estado, com apoio dos petistas presentes dividindo espaço com os peemedebistas, está cumprindo tarefa. E qual tarefa? Ser o candidato de Lula e Dilma no ES.

Não vou me alongar. O conferencista peemedebista ofereceu aos ouvintes mais atentos um conteúdo óbvio e sofrível. Está atrasado no contexto da revolução tecnológica exercida pela geração da nova era. Não vou nem mencionar o atual governador, mais atrasado ainda. Por isso, não temo em expressar minha preferência pelo senador Ricardo. Ele está à frente dos mencionados. Tem uma visão moderno do Estado. Além do mais, é de Cachoeiro de Itapemirim.

Há um erro crasso da geopolítica em preterir pela, segunda vez, o senador Ricardo Ferraço, que está preparadíssimo para ser gestor executivo com alto grau de resolutividade, principalmente, para debelar os nós nórdicos dados aos setores da Saúde e da Segurança. Não sei de sua posição sobre esse cursor político do momento.

Hoje, se fosse a eleição e ele candidato, o meu voto estaria comprometido com a sua proposição pragmática e programática.