Promotor enviou denuncia contra prefeita de Mimoso do Sul-ES

Promotor Rodrigo Monteiro, de Mimoso do Sul, autorizou-me dizer que a denúncia de corrupção eleitoral supostamente praticada pela prefeita de Mimoso do Sul, Flávia Cysne, é grave. E que já encaminhou a denúncia à Procuradoria Regional Eleitoral para examinar e dar parecer sobre as provas anexadas.

Enquanto isto, há possibilidade da Câmara Municipal abrir uma CPI contra a prefeita que ainda não negou ser a voz dela na gravação em que faz compra de votos e oferece vantagens a candidato de oposição às vésperas das eleições de 2012.

Se a denúncia tivesse sido apresentada antes de sua diplomação, o promotor disse que possivelmente ela não tomaria posse. Agora, ela tem foro privilegiado, mas os vereadores podem afastá-la por corrupção eleitoral, cujo crime não prescreve.

Anúncios

A candidatada vitoriosa Flávia Cysne (PSB) , juntamente com o seu vice da época, produziram compra de voto e apoio gravado em CD. Somente, recentemente, a FOLHA teve acesso ao matéria publicado jornalisticamente.

Compra de Voto e apoio de candidado avereador de oposição em Mimoso do Sul-ES

Gravação coloca em risco mandato da prefeita de Mimoso

ImagemA prefeita de Mimoso do Sul-ES, Flávia Cisne (PSB), pode estar com o mandato em risco se a promotoria acatar a denúncia em gravação de áudio durante a eleição de 2012. Na conversa com ex-vereador e concorrente ao pleito, conhecido como “Tentado”, ela oferece locação de veículos e gasolina na compra de apoio.

Fica claro no diálogo, pela fala da , agora, prefeita, a tentativa de enganar o promotor eleitoral, em esquema que seria gerenciado por uma empresa especialista de produzir prestação de contas. O candidato temia ser flagrado, mas foi confortado. Citou-se uma advogada que cuidaria de tudo.

Enfim, uma safadeza só. E este jornalista ainda sofreu ofensiva do MP e da Justiça quando denunciava na época a compra de votos. Que País é este?

Jornalista foi convidado por vereador para esclarecer denúncias

O jornalista Jackson Rangel, titular deste espaço, foi convidado pelo vereador José Carlos Amaral (DEM) para utilizar seu tempo no grande expediente para levar provas e esclarece-las aos seus pares na terça-feira, dia29, sobre as denúncias relacionadas a compra de lideranças políticas nas eleições de 2008 que beneficiou o prefeito Carlos Casteglione, do PT.
“Estou pensando sobre aceitar ou não, até porque ainda tem o processo investigatório que será dado início pela Justiça Eleitoral sobre o tema”. Mas, pensa mais em não ir, porque vai explanar, justamente, para vereadores que tem seus nomes envolvidos. “É como jogar pérolas aos porcos” numa alusão bíblica citada por Jesus.
Mas como o jornalista se considera imprevisível, pode ser que aceita e vomita as verdade já de conhecimento público.

Fique ligado, blogado, a qualquer momento prova de que o prefeito de Cachoeiro sabia da corrupção eleitoral que o elegeu