Eleições de Cachoeiro-ES estão em aberto

grafico

É verdade que a pesquisa não vence eleições e não vence mesmo! Pesquisa é uma máquina fotográfica que registra o momento. Até o dia da votação, muitos momentos são construídos e destruídos.

Bem! Sobre Cachoeiro de Itapemirim-ES. A eleição municipal está em aberto para os oito candidatos, considerando o alto índice de indecisos há cerca de 30 dias da votação. Impressionante!

Poucos sabem interpretar amostragem científica de apuração eleitoral, principalmente. Os leigos não leem a margem de erros que é um percentual que é tanto para cima como para baixo, criando, ás vezes, abismo entre os candidatos e proximidades.

As pesquisas são muitos criticadas pelas paixões que envolvem os partidários e cabos eleitorais. Mas, desconhecer tendências de inércias, crescimentos e declínios é suicídio para os adeptos ainda do “achismo”.

No caso de Cachoeiro de Itapemirim, por exemplo, se perguntar a cada um dos oitos candidatos ao Executivo e aos cerca de 300 pleiteadores de uma cadeira no Parlamento Municipal, todos vão dizer que quase já estão eleitos, porém só tem uma cadeira de prefeito e 19 de vereadores.

Em síntese, os meios de comunicação se deparam com a falta de bom senso dos leitos e com a forte emoção dos candidatos que já sofrem as pressões da disputa dia-a-dia. É compreensível!

Então, meus leitores, a eleição de Cachoeiro de Itapemirim só tem até agora um primeiro colocado isolado, os mais de 50% de indecisos.

Anúncios

Victor ressuscitará o irmão Glauber Coelho

Por não ser uma pessoa pública conhecida, o candidato do PSB em Cachoeiro para prefeito, Victor Coelho, vai ressuscitar o irmão Glauber Coelho, falecido há cerca de 2 anos. Com isso, espera comover o eleitorado a fazer uma transubstanciação das cinzas do saudoso deputado para si. Pode dar certo, como pode dar muito errado!

A memória do Glauber Coelho ajuda, mas terá prazo de validade para não virar um morto-vivo em exposição desnecessária nos programas de televisão. Do sentimentalismo pode chegar a um quadro mórbido demais. E não tem como produzir esse fenômeno poltergeist, mesmo o povo com sua inclinação pela superstição e pelo sobrenatural.

Independente desse detalhe abordado – porém pode ser fatal – para a campanha do socialista – , a dupla Victor e Jonas Nogueira (PP) é apresentável em imagem, principalmente, para a juventude. Só não devem cair na armadilha, como Carlos Casteglione (PT), de se revelar velho no campo das ideias.

Ademais, minha opinião, os dois, Victor e Jonas, estão longe do carisma de Glauber Coelho. A humildade vence o mundo!  E os candidatos só precisam vencer o pleito em Cachoeiro de Itapemirim sem a postura arrogante,  orgulhosa, soberba, presunçosa e extremamente vaidosa. Aos novos candidatos a líderes: juízo e sabedoria. Se possível, deixar os mortos enterrados!

cats

Victor Coelho (PSB) e Jonas Nogueira (PP) querem contar com “apoio” do Glauber

 

Perdi o prazer de escrever sobre a falência do Brasil pelo PT

Como jornalista, na última década, torne-me chato em críticas e denúncias contra o PT e a falência do Brasil pelos membros do partido nascidos do seio da Igreja Católica, no movimentos eclesiais de base, o que muita gente faz questão de esquecer.

Na minha cidade, Cachoeiro de Itapemirim, a mesma aonde de Roberto Carlos que nenhum prazer tem em recordar, fui e sou castigado até hoje pelas instituições e gente ligadas ao petismo e ,diretamente, por seus integrantes. Tentam me censurar o tempo todo com apoio do Judiciário.

Quando escrevi que o o prefeito Carlos Casteglione estava roubando os cofres públicos com assessores, em formato de quadrilha, ele não tinha nenhum processo – nem cível e nem penal – .

14559574_Cg4kZ

Agora, engessado, mas solto, com sentenças judiciais em menor quantidade do que o factual, com o PT nacional morrendo em meio a tanta corrupção, parece-me notícia de senso comum, a toda hora, os meios de comunicações informarem, repetidamente, os segundos de vida, na UTI, da organização comandada pelo ex-mito Lula e seu reflexo embotado, Dilma,

O PT conseguiu a façanha de acabar com a rara boa imagem da política, arrastando a todos para o abismo de Dante. Pior! Carcomeu as instituições governamentais e corrompeu as organizações independentes, particulares, de associações de bairros ao cooperativismo em geral.

Termino, sem muita novidade, este artigo, que o PT e seus fiéis destruíram a família cristã e perverteu as tradições religiosas ao conceito mais baixo no que estabelece programas de controle, constituindo currais eleitorais com derrame de dinheiro pelos instituições adentro e pelas portas escancaradas de igrejas, óbvio, com exceções.

Sobre o que o PT fez com os Três Poderes está aos olhos vistos: o Legislativo é um capacho e o Judiciário, seduzido, usurpou atribuições de legislar e também do executar, gerando uma Hidra de Lerna.

Ferraço não virá candidato a prefeito de Cachoeiro-ES

O deputado estadual e presidente da Assembléia Legislativa, Theodorico Ferraço (DEM), não diz e nem desdiz, mas seu método de dissimulação é arcaico e quem o conhece sabe que ele nunca mais virá candidato a prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES, sua terra natal, depois de sê-lo por quatro mandatos.

Vontade de voltar a ser prefeito cachoeirense, acredito, até existe, mas gato escaldado tem medo de água fria. Depois de duas derrotas para PT, um direta e outra indiretamente, com Glauber Coelho (PSB). Além do mais, ele está fora da geração instagram. É um ignorante digital que faz diferença nas eleições anteriores e futuras.

Ferraço, entrando no motivo específico dos motivos pelos quais não virá nunca mais candidato a prefeito, tem nomes: o governador Paulo Hartung (PMDB) e o seu filho, senador Ricardo Ferraço, também do PMDB, próximo de se mudar com mala e cuia para o PSDB. Tratos e distratos influem!

O governador, parece-me, só quer a ex-prefeita Norma Ayub (DEM), esposa de Ferraço, na Prefeitura de Itapemirim-Es, Município rico no litoral do sul do Estado. Para aí a cota do deputado. Seu filho não apoia a ideia do seu pai em se aventurar por Cachoeiro. Pode atrapalhá-lo a probabilidade de disputar o Governo do Estado ou a reeleição do Senado.

O “ferracismo” está na UTI e limitado em Cachoeiro. Não sobrou muito hoje das chamadas “viúvas” abandonadas. Sobre eleições do próximo ano, temos uns três fortes candidatos e outros “ratinhos” apenas atrás de um “queijinho”.

A idade biológica também conta para Ferraço, contra.

ferrao-e-norma

Ferraço (E) vai se concentrar em apoiar sua esposa Norma a voltar à Prefeitura de Itapemirim e ajudar a administrá-la como no passado

O câncer da corrupção está sendo combatida

Paródia de uma triste realidade na cidade do Rei Roberto Carlos