Folha do ES também homenageia 28 anos de jornalismo

jackson sem medo - capa

Anúncios

Nunca vou esquecer esta homenagem! Nunca vou esquecer!

A FOLHA DO ES vinha anunciando. Eu observei a movimentação dos colaboradores da Editora LEIA. Tinha pleno conhecimento da homenagem em curso, mas sem conhecer o conteúdo a não ser da entrevista elaborada por jornalistas de meios de comunicação, a qual fui protagonista das variadas indagações. 28 anos de jornalismo e parece foi ontem. Estou escrevendo sob forte emoção da revista LEIA em minhas mãos, com conteúdo e palavras que eu nunca vou esquecer.

Não está sendo uma homenagem, simplesmente! Estão mexendo com o meu emocional, algo sempre considerei difícil de ser provocado externamente. E, ainda, me comunicam que amigos e segmentos outros ficaram de fora da homenagem por falta de planejamento dos números de páginas, cerca de quarenta, mas serão incluídos na próxima edição da revista, no dia 28 do mês em curso. Mais surpreso fiquei! Outra edição?! “Sim!”, disseram os jornalistas. “Precisamos incluir os demais depoimentos e conhecer a pessoa do jornalista, sua origem e as curiosidades de bastidores”. “Então ta”! Eu disse resignado e com coração cheio de alegria.

O jornalismo é construído por pessoas com corpo, alma e espírito. É impossível não demonstrar felicidade quando se é lembrado de modo que se possa dizer “valeu a pena”. Acho que foi meu presente de natal concedido pelo meu filho Jackson Júnior, responsável pela Editora, e seus colaboradores. Não tem como esquecer! Não tem! E não têm preço as palavras de inserção, motivadoras, de qualidade, sobre a trajetória deste jornalista.

Pela ordem que está na revista, não vou esquecer o texto singular da diretoria da Unimed, a maior cooperativa de Saúde do Estado per capita por habitante. A Flecha Branca que vem inovando constantemente, acompanhando o pós-modernismo e interagindo com a população me remeteu a pensamentos positivos sobre a humanização da sociedade.

Preciso fazer parágrafo à parte para dizer que não tem como deixar de fazer um quadro para a posteridade e futuras gerações das minhas raízes o texto do advogado e jornalista Wilson Márcio Depes. Leio e releio e fico imaginando se mereço. Típico de quem precisa receber um beliscão para ter certeza não ser apenas um sonho, mas a realidade de um sonho. Ele lembrou de pessoas e sentimentos adormecidos em mim. Não sei, realmente, produzir mais uma palavra para definir tal sentimento que penetrou até à medula da alma.

Ao diretor Mário Pires, antes de tudo, saudações vascaínas! O sentimento tem de continuar. Escreveu em próprio punho adjetivos inesquecíveis, assanhando a minha vontade de lutar mais. O pastor Marcos Mansur, vereador, afagou mais, ainda, o meu ego, atingiu meu espírito. Conquistou-me. Lendo o que José Tasso escreveu, vejo-o falando. E ele reproduz o que sempre me diz pessoalmente, deixando-me sempre constrangido. Não o abandono! Sempre teve o meu respeito e continuará tento.

Agradeço os colegas jornalistas que me questionaram ecleticamente. Agradeço ao deputado federal Camilo Cola que ressaltou a função mal interpretada, às vezes, do jornalista. Agradeço a sinceridade de coração do senador Magno Malta que não economizou em lembrar de lutas em comum em favor da sociedade, incentivando-me a continuar o desiderato de denunciar as mazelas. Agradeço ao deputado estadual César Colnago por exaltar a fundamentação pela verdade do jornalismo praticado pela gente. Agradeço ao senador Renato Casagrande que centrou a seriedade e credibilidade de um jornalismo de quase três décadas. Agradeço ao vice-governador Ricardo Ferraço pela incisiva homenagem, lembrando que temos a mesma idade e começamos, ele como vereador e eu como jornalista, há 28 anos. Guardo no coração as suas palavras.

Por fim, agradeço aos anunciantes demais da edição que contribuíram para formatação desse quadro que me faz respirar com dificuldade pela forte emoção. Agradeço, além de todos e de tudo, a Deus!

Jornalista homenageado pelos 28 anos de atividades e carreira

A Revista LEIA publica no dia 14 a primeira parte ( haverá o segundo número )de uma homenagem extensiva ao jornalista Jackson Rangel pelos seus 28 anos de carreira que inclui pioneirismo ná área da mídia no Espírito Santo, além de reconhecimento em outras áreas da atividade humana, nesta sinopse:

HISTÓRICO HOMENAGEADO

Jackson Rangel Vieira, jornalista, brasileiro, natural de Guaçui, casado, nascido em 12 de setembro de 1963, começou a militar no jornalismo aos 18 anos de idade, mesmo com formação acadêmica na área do Direito, tendo ainda cursado teologia, sociologia e ciências contábeis (inconclusos).

Na sua trajetória profissional, marcou história, em várias áreas, principalmente, no jornalismo cachoeirense e capixaba, militando como:

– Redator do jornal semanário Arauto, do Grupo Nassau.
– Redator da Rádio Cachoeiro AM
– Redator da Rádio Tribuna FM de Cachoeiro de Itapemiirim.
– Repórter do jornal A Tribuna
– Repórter Jornal A Gazeta
– Secretário de Comunicação da Prefeitura de Cachoeiro entre 1984 e 1988.
– Chefe da Comunicação da Assembléia Legislativa do Espírito Santo
– Chefe de Gabinete do então deputado estadual Luciano Cortez
– Criador do primeiro jornal diário fora da Capital: A FOLHA DO ES.
– Criador do primeiro jornal bi-diário com três anos de circulação: FOLHA DA TARDE
– Presidente do Centro Acadêmico do Seminário Teológico Batista-ES
– Presidente do Centro Acadêmico da Faculdade de Direito – Cachoeiro Itapemirim.
– Diretor Financeiro do Estrela do Norte – função não remunerada
– Presidente do Cachoeiro Futebol Clube – função não remunerado
– Criador do Clube Empresa Estrela de Cachoeiro, campeão da segunda divisão.
– Criador da Revista LEIA, semanária relançada no mês de março deste ano.
– Criador da Editora LEIA que oferece consultoria política e empresarial, com serviços de multimídia.
– Criador do primeiro site de notícias fora da Grande Vitória: WWW.folhaes.com.br)
-Criador do Instituto de Pesquisa LEIA, reconhecido como empresa de maior credibilidade pelos acertos e divulgações antecipadas aos demais institutos.
– Fundador do Ministério IDE, associação sem fins lucrativos, com objetivo de evangelizar, educar e recuperar pessoas em várias faixas sociais.
– Apresentador do Programa Diário na Rádio Cachoeiro SIM “Em Nome de Jesus”.
– Presidente da Igreja Batista Alto Village, que mantém mais duas congregações, Batista Maria Ortiz e Batista Niterói, em Itaperuna;

Em razão desse vasto campo de trabalho em benefício da sociedade, de reconhecimento estadual, recebeu várias homenagens, entre elas:
Comenta Newton Braga; Cidadão Cachoeirense; Comenta Baptistinha; Homenagem pela Câmara de Cachoeiro como líder espiritual por relevantes serviços prestados à sociedade; Comenta jornalista Luiz Rogério Fabrino; Honraria por serviços relevantes serviços prestados como Evangelista; Amigo da Polícia Militar, Amigo da Polícia Civil; Homenageado pela Câmara de Vila Velha pelo reconhecimento do jornalismo pioneiro com reflexos estadual; Homenagem pelo Uni-Negros como apoiador e colaborador do Movimento e Direitos dos Negros; Homenageado pelo Rotary Clube Cachoeiro; Homenageado pelo Lions Clube Cachoeiro; entre outros títulos e homenagens.