Eleições de Cachoeiro-ES estão em aberto

grafico

É verdade que a pesquisa não vence eleições e não vence mesmo! Pesquisa é uma máquina fotográfica que registra o momento. Até o dia da votação, muitos momentos são construídos e destruídos.

Bem! Sobre Cachoeiro de Itapemirim-ES. A eleição municipal está em aberto para os oito candidatos, considerando o alto índice de indecisos há cerca de 30 dias da votação. Impressionante!

Poucos sabem interpretar amostragem científica de apuração eleitoral, principalmente. Os leigos não leem a margem de erros que é um percentual que é tanto para cima como para baixo, criando, ás vezes, abismo entre os candidatos e proximidades.

As pesquisas são muitos criticadas pelas paixões que envolvem os partidários e cabos eleitorais. Mas, desconhecer tendências de inércias, crescimentos e declínios é suicídio para os adeptos ainda do “achismo”.

No caso de Cachoeiro de Itapemirim, por exemplo, se perguntar a cada um dos oitos candidatos ao Executivo e aos cerca de 300 pleiteadores de uma cadeira no Parlamento Municipal, todos vão dizer que quase já estão eleitos, porém só tem uma cadeira de prefeito e 19 de vereadores.

Em síntese, os meios de comunicação se deparam com a falta de bom senso dos leitos e com a forte emoção dos candidatos que já sofrem as pressões da disputa dia-a-dia. É compreensível!

Então, meus leitores, a eleição de Cachoeiro de Itapemirim só tem até agora um primeiro colocado isolado, os mais de 50% de indecisos.

Victor ressuscitará o irmão Glauber Coelho

Por não ser uma pessoa pública conhecida, o candidato do PSB em Cachoeiro para prefeito, Victor Coelho, vai ressuscitar o irmão Glauber Coelho, falecido há cerca de 2 anos. Com isso, espera comover o eleitorado a fazer uma transubstanciação das cinzas do saudoso deputado para si. Pode dar certo, como pode dar muito errado!

A memória do Glauber Coelho ajuda, mas terá prazo de validade para não virar um morto-vivo em exposição desnecessária nos programas de televisão. Do sentimentalismo pode chegar a um quadro mórbido demais. E não tem como produzir esse fenômeno poltergeist, mesmo o povo com sua inclinação pela superstição e pelo sobrenatural.

Independente desse detalhe abordado – porém pode ser fatal – para a campanha do socialista – , a dupla Victor e Jonas Nogueira (PP) é apresentável em imagem, principalmente, para a juventude. Só não devem cair na armadilha, como Carlos Casteglione (PT), de se revelar velho no campo das ideias.

Ademais, minha opinião, os dois, Victor e Jonas, estão longe do carisma de Glauber Coelho. A humildade vence o mundo!  E os candidatos só precisam vencer o pleito em Cachoeiro de Itapemirim sem a postura arrogante,  orgulhosa, soberba, presunçosa e extremamente vaidosa. Aos novos candidatos a líderes: juízo e sabedoria. Se possível, deixar os mortos enterrados!

cats

Victor Coelho (PSB) e Jonas Nogueira (PP) querem contar com “apoio” do Glauber

 

Marcos Mansur vai ser útil em Cachoeiro-ES

Por Jackson Rangel Vieira 

PPAPKEAIOAZ2016042617121326042016.png

Deputado Marcos Mansur (PSDB) tem o direito e dever de tentar ajudar Cachoeiro

Chamou-me atenção o artigo do meu colega jornalista Ilauro de Oliveira. Gostei de seu ponto de vista sobre a necessidade do deputado estadual Marcos Mansur (PSDB) permanecer na Assembleia Legislativa, como sendo mais útil para Cachoeiro-ES, não quebrando o mandato. Gosto de ler uma boa análise. Mas, discordo dela!

Ora! É como uma partida de futebol, você joga de acordo com as regras. A lei proíbe? Não! Os legisladores entenderam ser justo a disputa em qualquer eleição o cidadão e o mandatário por outro cargo, também não! A valer, com esse sistema política, a visão apenas da lógica e suposto senso moral, a maioria  do políticos estaria condenada.

Ninguém escreveu condenando as queimas de etapas do falsário Magno Malta (PR), que de vereador foi a senador, passando de vereador a deputado estadual e chegando a senador em 10 anos de política. Ninguém até , agora, fez nenhuma observação de que o deputado Rodrigo Coelho (PDT) deixou o mandato para ser secretário de Governo do ES.

Considerando um pleito de oito candidatos e eleitor reclamando da qualidade dos candidatos, eu diria que a inserção de Mansur no pleito só valoriza a disputa e oferece melhores opções ao eleitorado. É uma falácia dispensar a colaboração do deputado no processo. Se Ferraço viesse à disputa ou Rodrigo, a forçação de barra neste sentido ficaria oculta. É um palpite. Não acredito em preconceito pelo fato de sua vida eclesiástica ativa.

Agora, se a análise é por convicção ideológica ou até por interesse por torce por este ou aquele – levando em conta que o parlamentar é forte candidato a polarizar a disputa -, eu não daria volta. Já emitia logo meu apoio ao meu preferido sem a falsa desculpa da “imparcialidade”, demolindo o resto nas suas fraquezas. E, meu amigo, o que tem de candidato com Calcanhar de Aquiles em Cachoeiro-ES!

Respeitosamente, contrariando o direito legítimo de opinar sobre quaisquer questões do meu amigo Ilauro, considero até fundamental a participação democrática do deputado que já tem jornada respeitável na vida pública. Não tenho candidato a prefeito, ainda. Quando o tiver, até revelarei. Agora, falar que ele é mais importante no parlamento é uma emenda pior do que o soneto. Aquilo lá é para desconstruir uma liderança política em detrimento da carência do seu Município. Prefiro ele aqui!

Agora, sobre minha visão sobre o sistema político em voga? Uma desgraça. Defendo a reforma com essa obrigatoriedade, do mandatário cumprir todo mandato; a proibição de qualquer mandatário assumir cargos comissionados durante o mandato – claro que se a primeira hipótese fosse aprovada, a segunda inexistiria de se reportar a ela – ; e o voto não obrigatório. Por ora, porém, enquanto o sistema não muda, aceitemos suas amplitudes.

Então, deputado Marcos Mansur, vem de volta, que Cachoeiro precisa de lideranças qualificadas! A urna punindo ou gratificando!

Romário do PV será a revelação nas eleições 2016

Por Jackson Rangel Vieira, jornalista

A revelação das eleições 2016 para prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES será Romário Miranda, conhecido como Romário do União (PV). Nunca disputou nenhum pleito, porém se identifica com o povão. Tem a cara do povão. É cedo para saber sua performance na televisão – instrumento que dará contornos definitivos às tendências -, contudo não passará vergonha na disputa e .a inda, vai deixar gente com dor de cotovelo, que o tirou por menos.

Na região da ponte municipal para baixo, bairros União, Monte Belo, vizinhanças; Coronel Borges e Gonzaga, e circunvizinhanças , seu nome será bem cotado pelos trabalhos sociais realizados enquanto servidor público. A missão mais árdua será conquistar o outro lado da cidade e suas laterais. Nada que um bom marqueteiro não possa corrigir e, com pesquisa, receber orientação para conhecer novas realidades sociais das quais precisará convencer os formadores de opinião.

Romário é dotado de personalidade, honesto, foi participante ativo dos movimentos da denominação batista na sua juventude, em que fui seu líder. Se ele tem chances, probabilidade de vencer o pleito? Claro que tem. Vai depender somente dele estabelecer o formato de campanha, gastar muito chinelo, e apresentar-se o que ele realmente é: homem simples e do baixo clero da pirâmide social, ou seja, a maioria da população eleitoral.

cats

Romário (ESQUERDA) com seus familiares e correligionários incondicionais

PT é favorito em Cachoeiro-ES

Por Jackson Rangel Vieira

Tenho a mania de predizer acontecimentos a partir de fatos, contrariando o raciocínio lógico. O Partido dos Trabalhadores, no momento, é favorito para ganhar as eleições de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Isso, a despeito do cenário, extremamente, negativo da imagem do PT no Brasil e no Espírito Santo.

A dupla Braz Barros, a prefeito, e José Irineu, a vice, tem condições de produzir efeito de conquista maior dos demais adversários pela capacidade de organização e de estrutura eleitoral, a conferir. A sigla já sai, pela sua militância, no mínimo, com 15 mil votos. Com a pulverização em sete candidaturas no pleito, a eleição pode ser decidida entre 25 a 30 mil votos.

Tudo, é claro, tem de ser acordado com os eleitores já extenuados, mas cansados com a política em geral, o que vale para os demais.Braz Barros tem as mãos limpas, até prova-se contrário. José Irineu, amadurecido e experiente, tem características essenciais para ajudar na caminhada: organizado e pragmático. É gestor bem sucedido e sabe os atalhos dos bastidores políticos.

Em tese, a dupla precisa cabalar apenas 15 mil votos, enquanto os outros candidatos não tem o mesmo capital e terão de iniciar do zero, mesmo os que contam com apoio de caciques conhecidos e extirpados pela própria linha do tempo no enfrentamento com a transição do novo formato de governança.

Estou na contramão do pensamento da maioria? É assim mesmo que funciona a política, dentro da teoria do caos, quanto todo mundo pensa não haver ordem nos fatos, porém dentro do vácuo de uma implosão, lá está o genoma, o fio condutor para o aparente improvável. O PT é favorito. Está dito, está escrito!

cats.jpg

Zé Irineu tem preparo como vice para agregar valores ao candidato Braz Barros

Prefeita apoia molestador de criança

Luciano Ribeiro e Amanda Quinta

O molestador de criança Luciano (E) tem tido o apoio e a proteção da Amanda

A prefeita da cidade de presidente Kennedy-ES, com cerca de 11 mil habitantes, Amanda Quinta (PSDB), pasmem, apóia molestador de criança. A FOLHA DO ES denunciou no dia 15 de julho flagrante conversa em rede social do agente de enfermagem comissionado na Prefeitura Municipal, Luciano Ribeiro, e nenhuma providência foi tomada, nem uma correição administrativa.

A conivência com o escroto do assediador de criança tem motivos. Ele faz parte da claque raivosa da prefeita nas suas pretensões de poder. Trata-se de caso hediondo, com requinte de crueldade contra indefeso em diálogo nojento e criminoso. Nem ato administrativo punitivo, quanto mais exoneração. A vista grossa sobre essa aberração faz da prefeita tão monstruosa quanto o próprio monstro correligionário.

O diálogo flagrado entre o molestador de crianças promove ojeriza a qualquer ser humano normal:

HVCVJCMVEAR2016071515333715072016OCOPTEOPOOA2016071515333715072016HTIOXDERRR2016071515333715072016

 

Em Kennedy-ES, a disputa será entre o namorado de Amanda e Reginaldo Quinta

Por Jackson Rangel Vieira, jornalista

A situação não está fácil para o povo da cidade Presidente Kennedy-ES. Pela segunda vez, Amanda Quinta (PSDB) será uma “laranja”. Na primeira eleição, ela se elegeu com o prestígio eleitoral do tio, Reginaldo Quinta (PMDB). Depois de eleita, apaixonada, deixou seu companheiro, Zé Augusto, ser o “prefeito” de fato e pretende a reeleição dele através do nome dela no “santinho”.

Traído pela sobrinha mais nova, Reginaldo terá de encarar, agora, um estranho no ninho, forasteiro. A primeira iniciativa de Zé Augusto foi retirar Amanda da cidade para morar com ele em Apart-hotel em Cachoeiro de Itapemirim-ES, 40 quilômetros da cidade aonde vive o povo humilde e trabalhador de Presidente Kennedy. A inserção do “namorado” de amanda vira, agora, um estelionato eleitoral a ser desnudado.

A cidade não absorveu essa relação de interesses conjugados, tanto que o tio já entra na campanha polarizado com a sobrinha, mesmo por tanto tempo na planície, contra o poder do mando e do desmando do “prefeito” Zé Augusto. Apontamentos de fraudes estão entupindo o Tribunal de Contas, inclusive, sobre as obras recentes auditadas.

Existe suspeita , também, de enriquecimento ilícito do companheiro da Amanda. De um simples servidor público comissionado, virou o “amasiado” mais poderoso da região, como manipulador da “fantoche” companheira e conivente com seus atos, menos, quando o assunto é ameaça feminina. Ela exala forte ciúme de Zé Augusto, quando alguma “galinha” cisca no terreiro dela. Faz parte numa relação, o feromônio dominar.

A verdade é que será uma eleição incomum para o povo de Kennedy, pois precisará discernir entre uma candidatura “laranja” e reeleger o verdadeiro dono da “laranja” ou eleger Reginaldo Quinta, que na sua página de perfil no Facebook pediu desculpas aos kennedenses por eleger a sobrinha sem saber que ela só tomaria posse, mas quem governaria mesmo, na época (2012), seria o “namorado”.

Zé Augusto

Zé Augusto acarinhado na convenção do PSDB por uma correligionária e sua companheira Amanda Quinta (direita). Ele é quem manda e desmanda