Ricardo Ferraço vai perder a reeleição

1003463-01032016dsc_5384-

Ricardo Ferraço no dia em que se filiou ao PSDB pelas mãos do senador Aécio Neves

A emenda saiu pior do que o soneto. O senador Ricardo Ferraço (PSDB) ao não cancelar o compromisso da missão ao Emirados dos Árabes para votar contra o colega Aécio Neves, tenta se justificar com sentimento subjetivo: “vergonha de ser político” e como retaliação a si mesmo, anunciou licença de três meses. Muito mal assessorado ou está ouvindo a si mesmo.

Qualquer tradutor, minimalmente racional, interpreta assim: estou com vergonha de ser político porque absolveram um ladrão do meu partido e para punir-me vou colocar meu primeiro suplente na ativa nesse tempo, Sérgio Rogério de Castro, sócio executivo da FIBRASA, com R$ 6 milhões declarados na época em que aceitou “difícil” missão de aguardar oportunidade como esta.

Pensei em todas as possibilidade na hierarquia de importância nessa agenda do senador capixaba que conflitava com a votação no Senado. Não encontrei maior do que ficar no Brasil e cumprir missão fundamental para a República Brasileira.

A indignação espalhada pela Imprensa de Ricardo Ferraço não convence a mim, eleitor dele. Licença? Eu acreditaria na sua revolta e vergonha de ser político se renunciasse ao mandato.

A auto-retaliação não convencerá os capixabas. Será visto como um prêmio ao seu primeiro suplente endinheirado e patrono do mandato nos bastidores. Para isso, servem os suplentes. Licença remunerada para pagar dois. Não sei, não! Este conselho dado ao senador foi de mau gosto.

O pior são os registro espalhados pelo Google. O senador abandonou a candidatura perdedora na época  da reeleição do governador Renato Casagrande (PSB) a pretexto de ser o coordenador da campanha de Aécio Neves para a Presidência da República.

Uma saída política em que ficou mal na fotografia. Logo após, do PMDB se filiou pelas mãos do senador Aécio Neves ao PSDB, este mesmo, o que lhe produz sentimento de repulsa e lhe “obriga” a licenciar-se.

Com posições excelentes no campo oratório e assumindo responsorialidades corajosas como a Reforma Trabalhista, Ricardo Ferraço estava até bem pouco tempo em franca recuperação e ascensão política.

Com esta falha de conexão com seu eleitorado perplexo, não engolindo conflito de agenda, minha visão “estreita” diz que um novo vai ocupar a sua vaga. Perderá a eleição. Ou muda a formulação ou se confirma o dito.

Agora, aos seu correligionários, recomendo que que riam da minha previsão ao final de 2018. Aceito cair em descrédito! Aceito ser considerado aparvanhado como defensor da liberdade de expressão e do direito do contratitório.

Tem conserto? Tem, mas não com esses conselheiros que nem sei quem são, exceção de outros que torcem por ele de longas datas, mas que não operam voz ativa por terem compromisso exclusivo de blindá-lo, principalmente depois da incêndio iniciado.

Anúncios

DESFOLHADO – 18/10/2017

Toda reta tem uma curva /// Ricardo Ferraço teria de cancelar a viagem para Emirados dos Árabes e Rose de Freitas não deveria ter perdido a passagem de Vitória para Brasília /// Aécio, mais do que Dilma e Lula, virou o estrume mais fedido da República./// AVC pegou o vereador Sebastião Buiu (PP). Internado no Hospital Evangélico. Pode ficar sequela. /// Advogados sabe defender direitos dos outros, mas não se empenham para preservar os seus quanto ao dinheiro mal empregado pela OAB-ES. /// O Cidade Imperial de Itapemirim carece de uma reforma política, caso o prefeito Thiago Peçanha (PSDB) não assuma suas responsabilidades. /// Mulher arrancou com a boca o pênis do marido enquanto fazia sexo porque descobrira que ele a traia. Caso foi parar na delegacia, sem morte. /// Dos senadores capixabas, somente Magno Malta (PR) estava presente para votar contra a devolução do mandato do senador Aécio Neves. /// Temer coordenou a ressurreição do senador de Minas. /// Todos como zumbi, agora. /// As enquetes promovidas pelo BLOG do jornalista Jackson Rangel Vieira ofertaram inclinações de força para as próximas eleições, algumas previstas como Bolsonaro para presidente e Casagrande para Governador. /// Ferraço pode fortalecer a candidatura de Norma para Federal nas próximas eleições como prioridade. /// Hartung entre a espada e a cruz: é forçado a ficar no PMDB para não piorar sua rejeição no mercado de partidos/// Jathir Moreira deu toda assistência ao vereador Buiu. /// Até breve./// #JRV

O PT mandou na OAB enquanto tinha poder

1148957_438814196233050_357643835_n

19 de agosto de 2013- Momento na sede da OAB, quando recebi hoje (19), a carteira da Ordem pelas autoridades diretivas da Instituição – número 21-212 – na sala da presidência pelo presidente Homero Mafra; vice Flávia Brandão; e diretores da Associação dos Magistrados do ES.

Além das mazelas denunciadas sobre a OAB-ES por mim, sofri o pão que o diabo amaçou quando o Partido dos Trabalhadores tinha ascensão sobre a Instituição. O seu presidente, Homero Mafra, foi advogado do seu colega, o “Gavião”, José Irineu, com a sua então esposa, Gisele Mafra, como promotora do caso em Cachoeiro-ES.

Como jornalista, se pudessem, prenderiam-me nas audiências de conciliações, com censura prévia autorizada pela Justiça, tentando de todas as formas me coagir. Entraram na Justiça em consórcio toda bandidagem do PT de Cachoeiro-ES contra mim, do partido aos seus agentes públicos corruptos.

A OAB de Cachoeiro-ES recebeu a formalização das minhas denúncias e nada fez, só resposta informal de que enviaram o caso para OAB sede por envolver um advogado, “O Gavião”. A denúncia que foi tratada como crimes contra a honra procedia. Confirmou-se com a delação da Odebrect na operação Lava Jato.

Fecharam um cerco covarde sem conhecer minha persistência e paciência. OAB queria e conseguiu em parte proteger o seu maior aliado endinheirado, o braço financeiro do PT, o “Gavião”, Zé Irineu.

Formei-me em direito em 1990. Requeri minha carteira porque a lei me concedia o direito. Entrei com o requerimento.

O presidente da OAB de Cachoeiro-ES, Rômulo Louzada, até reconheceu e orientou sobre os procedimentos, mas sucumbiu ante ameças de bastidores do “mandachuva” local, o “Gavião”. Sofri por 1 ano, com testemunho do deputado estadual Hércules Silveira, dos percalços dolosos para obter a minha inscrição.

Homero Mafra, fraco de personalidade e parceiro do advogado cachoeirense, aceitou pedido de impugnação do dito cujo e a humilhação prosperou até ser levado meu caso de novo ao Conselho da Ordem, saindo vencedor pela relatoria do meu ingresso.

Homero além de castrar em petição minha liberdade de denunciar os “petralhas” na Justiça em favor de seu comparsa, fez isto na condição de presidente da OAB que eu pensei como séria dos tempos de Agessandro da Costa Pereira. Fui paciente com toda artimanha envolvendo o trio: Homero, Robson Louzada e José Irineu.

A covardia por parte da OAB de Cachoeiro foi ser subjugada, sem espinha, pelo Zé Irineu que me impediu de receber a carteira na minha cidade depois de deferida.

Fingi-me de morto e atendi ao pedido de receber a carteira na sede da Ordem das mãos do meu próprio algoz. Eu chamaria isto mais do que impropriedade, mas de ações de organizações criminosas naquele momento: OAB e PT.

Segui em frente sabendo que em toda reta também tem curvas. Minha família sofreu. Eu sofri. De cabeça erguida. Com prejuízos imensuráveis. Porém, não me curvei e não me curvarei.

Estou, agora, esperando receber processo do “pulha” para embate de que tenho prazer de lutar por ser bom o direito que me assiste. A esposa dele ou ex será minha testemunha da qual não vou abrir mão.

Contudo, tenho que fazer reservas à maioria da direção da OAB, honesta de propósito e deve estar envergonhada como eu com a sucessão de atitudes marginais praticadas pelo seu presidente com o dinheiro da Ordem.

Além do mais, vou denunciar ao Conselho Nacional. Só para registrar a discriminação que praticaram contra mim: Nunca recebi um convite da OAB de Cachoeiro para nenhum evento, ou data comemorativa da classe, nem da OAB-ES, somente da OAB nacional.

Não se pratica este tipo de perseguição contra um membro da OAB por partidarismo e nem por outro motivo que se escolha contra a moral e a ética. O meu caso é mais um caso de denúncia contra o presidente Homero Mafra.

Se vamos para a luta, chamemos todos os personagens envolvidos e da minha parte os convocarei por direito: da treinadora de PEJs à promotora que fazem parte da vida dele. Vamos colocar a verdade na mesa da Justiça. Das ex-funcionárias denunciantes de assédio moral até outros autores de ações na Justiça contra a OAB que faz acordos impróprios.

Se sou louco por minha coragem, vou continuar no meu manicômio. Prefiro essa qualificação a ser aliciado por milícias de seitas partidárias e grupos organizados “donos do sistema” que expoliam  e ofendem o arcabouço jurídico com pretextos escusos como os narrados.

capa-da-revista-folha2

Pensamento perfeito: O Sistema

Nasce-se e morre-se. O sistema cuida de você.

Sem controle, a vida não lhe pertence, esvai-se.

A luta, a labuta é a sua missão, isto lhe apetece.

Fugaz os momentos, a idade é a sua cavidade.

O sistema do Criador foi corrompido no Édem.

O paraíso dos homens é moedor dos viventes.

A mente não aguenta tantos revés e falta de fé.

Você não detém sua propriedade. É do Sistema.

Entre bosques e florestas, animais e bichos,

Na selva só sobrevive as almas que rastejam.

Indomáveis contra o Sistema sob mil torturas

Não encontra a paz, ouve-se dizer, assim jaz.

Ex-vereador vence enquete e mais cinco se destacam entre os seis primeiros

catscapa completa

Marcos Coelho, Wallace Marvila, Delandi Macedo, Paulinho Miranda e Alexandre Bastos, nesta ordem, foram os preferidos na enquete para deputado estadual

O ex-vereador Marcos Coelho (DEM) por três mandatos, dois como presidente do Legislativo de Cachoeiro de Itapemirim-ES, venceu a enquete de deputado estadual lançada ontem pelo BLOG do jornalista Jackson Rangel Vieira (http://www.jacksonrangelvieira.com) e encerrada hoje (14). Ele obteve 19,77% dos votos do total de 2.033 participantes.

Os outros cinco que mais inspiram confiança para deputado estadual em 2018 foram: Vereador Wallace Marvila (PP), com 19,65%; vereador Delandi Macedo (PSC), com 9,1%; o secretário de Serviços Urbanos, Paulo Miranda, com 7,75%; a vereadora Renata Fiorio (PSD), com 6,3%; e o vereador e presidente da Câmara, Alexandre Bastos (PSB), com 5,9%.

A curiosidade da enquete, sem valor científico, mostrou o item “outros” em terceira colocação com 10,55%. Outro fator diferente de outras amostragens produzidas pelo BLOG é que a repetição de voto foi programada a cada 1 hora por IP (dispositivo), exigindo mais esforço dos relacionados.

Mesmo sem critério de pesquisa profissional, a enquete serve para testar o empenho de eleitores, correligionários e amigos dos possíveis candidatos. Sem duvida, um desses nomes estarão no páreo de boa votação nas próximas eleições.

Outra curiosidade é a posição vencedora do ex-vereador Marcos Coelho que demonstrou estar “vivo” no mercado político e está motivado a voltar nas próximas eleições ou no pleito de 2010 para o Legislativo Municipal.

Ele está estudando as melhores possibidades e se diz à disposição do seu partido que tem como prioridade a reeleição do deputado Theodorico Ferraço. E Na enquete, ele superou seu irmão vereador, Silvio Coelho (PRP), o vereador mais votado em 2016.

Os seis destacados foram, sem os que optaram por OUTROS, os únicos que ultrapassaram em números inteiros mais de 100 votos absolutos. A enquete sugere aquela máxima: é melhor aparecer do que desaparecer na política.

Confira o quadro dos seis primeiros colocados:

Captura de Tela (7)