twitter-292994_960_720

Enquanto durou a campanha eleitoral estava ativa, os políticos de várias bandeiras disputavam para ingressar nos grupos de WatSapp da sua cidade ou do Estado.

Solicitavam aos administradores que os incluíssem no aplicativo para propagar as suas candidaturas até mesmo extemporaneamente. A

Terminado o pleito no domingo (7), no Espírito Santo, por exemplo, os eleitos deixaram o agradecimento e se despediram, alguns, até justificando sobrecarga  nos seus celulares. Abandonaram até seus perfis e fanpages no facebook e no instagram.

A verdade é que o aplicativo serviu de plataforma de divulgação das candidaturas para impulsionar visibilidade sem interesse além de manutenção de permanência com dialogo com a sociedade pelas redes sociais, talvez, com receios de cobranças diretas.

E a debandada continuará. Muitos até trocaram os números dos seus celulares.

Anúncios