lady-1702761_960_720

O cerco da janela para mudar de partido e disputar as eleições está se fechando. Só existem duas peças no tabuleiro que se mexem em direção à disputa para Governo do Estado: Max Mauro Filho (PSDB) que pode ir para o Partido Verde (PV) e Rose de Freitas (MDB) que tenta o PODEMOS.

Outras duas já estão acomodadas: O governador Paulo Hartung (MDB) e Renato Casagrande (PSB). Enquanto PH busca a hegemonia partidária, reunindo o máximo de siglas sob o seu controle, o socialista tenta sair desse cerco, tendo como aliado incondicional, até agora, o PPS.

A senadora, dos pré-candidatos, é a única que não tem nada a perder, pois tem mais 4 anos de mandato pela frente. Já o prefeito de Vila Velha vai para o risco, abrindo mão, praticamente, de fazer sucessor e ficar no ostracismo político.

Max tentou o PODEMOS, mas as portas estão fechadas. O senador Álvaro Dias teria preferência por Rose de Freitas para efeito de palanque presidencial no ES. Existe outro fato da rivalidade existente entre o atual tucano e o deputado estadual Hudson Leal, liderança do PODEMOS que fechou a porta e a janela para Max.

O esforço palaciano é de isolar o seu concorrente direto, Renato Casagrande. Mesmo no MDB, toma conta do DEM – que terá expurgado o casal Theodorico Ferraço e Norma Ayub, estadual e federal, ambos em direção ao PTB – e o PSDB que perdeu seu antigo líder Luiz Paulo Veloso Lucas, filiado, agora, ao PPS.

A partir do dia 07 de abril, o mercado político saberá como fica o tabuleiro com todas as peças postadas para início do jogo eleitoral. Depois, todos os protagonistas vão precisar combinar com o povo capixaba que não faz ideia dessas movimentações de bastidores.

Anúncios