Corrupção-660x330

Os gestores do litoral sul do ES estão desafiando o Ministério Público e o Poder Judiciário. As farras de shows superfaturados, ilícitos de todas as ordens, gastança do erário sem critério, deixando as áreas da Saúde, da Educação e da Segurança, são pontos alimentados na confiança da impunidade.

Em presidente Kennedy-ES, o Tribunal de Contas já condenou obras superfaturadas em período eleitoral e fora dele. A Saúde está em frangalhos. A Educação é uma vergonha. O povo pobre com a renda per capita acima de qualquer município brasileiro, com apenas 11 mil habitantes. Amanda Quinta (PSDB) não manda nada. Manda o noivo.

Em Marataízes, o prefeito Tininho (PRP) – que no sul do País tem significado de pequeno ladrão ou ladrãozinho – desafia até a lei da gravidade com o dinheiro público. Gasta milhões em cada ação com shows, rádio e prestadores de serviços, sem mencionar a utilização de laranjas para pegar empréstimo para sua campanha vitoriosa de 2016.

Em Itapemirim, Thiago Peçanha se sente a cima do bem e do mal. A vergonha está aos olhos visto em pleno meio dia. O nepotismo; favorecimento a parentes como prestadores de serviços; denúncias em quase todas as áreas, atingiram nível acima do que se vê no País. A sua  permanecer no cargo é ínfima se considerar que a justiça valeu para o prefeito afastado e valerá para ele como prefeito tampão.

Observar que o mais próximo instrumento fiscalizador do Município deveria ser a Câmara de Vereadores que não cassa ninguém por ser quinta do Executivo com muitos cargos e obras fisiológicas envolvidas.

 

Anúncios