assalto-a-onibus-12
Gestante não resistiu ao tiro e morreu no Hospital 

Assaltos diários. Tentativas de homicídios frequentes. Criminalidade desenfreada. A lei do mais forte como nos tempos primitivos. Lembra os filmes de faroestes sem herói, neste caso. A Polícia Militar foi destruída pelo governador Paulo Hartung (PMDB).  Os capixabas estão sob a própria sorte.

O tiroteio de hoje, por volta das 15h00, com um policial civil ferido e uma gestante morta na tentativa de assalto a ônibus, deu para ilustrar o quadro nefasto em que se encontro a Segurança Pública do Espírito Santo. Cachoeiro de Itapemirim, aonde aconteceu a tragédia, é o melhor exemplo do caos.

O Ministério Público exagera no preciosismo desarmando a Guarda a quase dois anos, com a sanção do Poder Judiciário. No momento mais negro e aterrorizando, fevereiro de 2017, quando a bandidagem fez a festa com quase 300 mortos em 3 dias, saques e terrorismo psicológico, a Guarda Civil de Cachoeiro foi convocada e foi competente.

Há menos de 24 horas do governador Paulo Hartung (PMDB) assinar no Palácio Anchieta convênio para treinamento exigido Judiciário com o prefeito Victor Coelho e com chancela do deputado estadual Rodrigo Coelho (PDT), os bandidos apresentaram suas credenciais.

Os criminosos sabem da inoperância da Polícia Militar, sem pontos de apoios e efetivo ínfimo; e de uma guarda desarmada , preparada, mas desarmada. Cada morte e sofrimento advindo da insegurança pública deve ser depositada na conta do governador, da promotoria e dos juízes.

O Natal ,dos cachoeirenses e capixabas, não está iluminado e o Papai Noé fugiu de medo.

Anúncios