KDNTDPCUTIU2017060613475706062017A Viação Itapemirim amanheceu no dia de hoje (01) com todas suas contas bloqueadas. A crise financeira do grupo só aumenta e o portal folhadoes.com teve acesso a informação exclusiva de tentativa de burlar a ordem judicial.

A gestora do grupo Itapemirim em Cachoeiro, Daniela Lopes, certamente cumprindo ordens da diretora Camila Valdívia, deu orientação em grupo de watsapp para que todos os depósitos em dinheiro da empresa fossem direcionados para uma conta no banco Itaú, da empresa Prodelta Propaganda Marketing Ltda, em uma tentativa explicita de burlar o bloqueio judicial e não honrar os compromissos com os inúmeros ex-funcionários que aguardam receber.

Na mensagem, Daniela Lopes, faz questão de frisar que o depósito deve ser feito na “boca do caixa”e que não deve ser feito “ficha de compensação”. Confira a mensagem na íntegra:

“ORIENTAÇÃO: Para as cidades que não tem Mercantil, vamos fazer o seguinte: Vendas de 30/11 (Kaissara e Visa) Fazer depósito na boca do caixa Itaú. Prodelta Propaganda Marketing Ltda – Agencia 1268, C/C 26.340-7, CNPJ 24.099.791/0001-17. Lembrando…Não fazer ficha de compensação. Vamos avisar as agências com urgência! Contamos com vocês.”

A Viação Itapemirim, que já foi uma das maiores empresas de ônibus da América Latina, sendo até chamada de Greyhound brasileira (em alusão à gigante norte-americana), agora tenta escapar de uma crise sem precedentes e, até mesmo, de seu final.

Quem vive no dia a dia da empresa diz que todos os anúncios de reestruturação e crescimento pelo novo grupo controlador, pelo menos até agora não passaram de marketing. Muitos funcionários, entretanto, aguardam com esperança.

“Não vi os ônibus novos que prometeram. Não recebo meu Vale-Alimentação há três meses. O pessoal da diretora sempre prometia que as coisas iam mudar. Agora estão quietos. Não podemos perder a fé, mas dá desamino, expor a vida nas estradas por uma empresa e sequer ter satisfação dela” – desabafou à reportagem do Diário do Transporte na manhã deste domingo, 26, um motorista em São Paulo.

“De repente, quando cheguei à garagem, cadê o ônibus que eu trabalhava? Foi tomado de volta pela empresa que alugou. Aí vi que a situação que era grave, piorou”, disse outro motorista no dia, durante evento de exposição de ônibus antigos e novos, na capital paulista.

Quando anunciou que assumiu o controle da Viação Itapemirim, a dupla de empresários Sidnei Piva de Jesus e Camila de Souza Valdívia, ao lado do também empresário Milton Rodrigues Junior, que veio do setor de transportes de cargas, prometeu uma série de investimentos. Em entrevista coletiva, no mês de abril, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim, sede operacional da empresa, Sidnei, Camila e Milton falaram de compra de ônibus zero quilômetro, ainda para 2017, de entrada no setor aéreo e até de hotelaria. Relembre:   https://diariodotransporte.com.br/2017/04/06/novos-proprietarios-da-itapemirim-anunciam-investimentos-e-falam-em-setores-aereo-e-de-imoveis/

Em junho, a sócia e diretora administrativa e financeira do Grupo, Camila de Souza Valdívia, disse ao jornal Gazeta de Vitória, do Espírito Santo, que iria investir R$ 200 milhões até o fim do ano para a compra de 400 ônibus novos. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/06/16/mesmo-com-dividas-nova-socia-da-viacao-itapemirim-anuncia-compra-de-400-onibus-ate-o-fim-do-ano/

Mas, até este dia 01º de dezembro de 2017, nenhum ônibus novo foi adquirido e, pior, funcionários denunciam cancelamentos de partidas por falta de veículos para operar.

Também no domingo, a reportagem teve acesso a uma tabela que trazia os cancelamentos entre sexta, 24, e domingo, 26. O motivo, segundo os funcionários: a Itapemirim e Kaissara não têm mais ônibus suficientes para atender a todos os horários

Em abril de 2017, o Diário do Transporte noticiou em primeira mão, que a Polícia Militar foi acionada após decisão judicial para cumprir reintegração de posse de ônibus usados pela Viação Itapemirim e Viação Kaissara, alugados pelo Grupo JSL (Júlio Simões). O motivo: falta de pagamento. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2017/04/07/policia-cumpre-mandados-de-reintegracao-de-posse-de-onibus-da-itapemirimkaissara-alugados-pela-jsl/

Em maio de 2016, a juíza Adriana Bertier Benedito, da 36ª Vara Cível – Foro Central Cível de São Paulo, determinou a reintegração de 170 ônibus alugados da JSL pela Kaissara. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2016/05/19/justica-determina-reintegracao-de-posse-para-jsl-de-170-onibus-usados-pela-kaissara/

A Itapemirim/Kaissara, alegando não ser vantajoso o modelo de locação de ônibus, decidiu devolver os veículos que ainda não tinham sido reintegrados.

Mensagens de leitores do Diário do Transporte alertavam para o esvaziamento da garagem da Itapemirim/Kaissara, da rodovia Presidente Dutra, em Guarulhos, uma das maiores da empresa no País, nesta última terça-feira, 28.

“Ontem dia 27/11/2017 passando pela rodovia presidente Dutra me deparei com veículos da JSL usados pela Itapemirim sendo recolhidos e hoje quando passei em frente à garagem da Itapemirim não tinha quase veículos” – diz trecho de mensagem de um dos leitores.

Ônibus contratados de empresas para fazerem as linhas da Itapemirim/Kaissara têm sido vistos em maior número e fora de época de grande demanda. É comum empresas contratarem ônibus de companhias de fretamento em feriados prolongados ou férias, quando habitualmente a procura por passagens rodoviárias aumenta.

Nesta quarta-feira, 29, por exemplo, um leitor de Curitiba mostrou um ônibus a serviço da Viação Kaissara, pertencente à Arca Turismo, com partida prevista para às 15h e tendo como destino a cidade de São Paulo.

Anúncios