23795629_1357736311018857_1067906945822145327_n
Mário Louzada acumula a Secretaria de Meio Ambiente e da Desenvolvimento Urbano

Em entrevista no quadro “Vai Encarar”, conduzido pelo jornalista Jackson Rangel, o secretário do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Urbano, Mário Louzada, revelou que é constante o assédio de ofertas de propinas relacionadas às duas pastas.

Sem citar nome e entrar em detalhes, o secretário ficou uma semana em repouso – foi duas vezes ao hospital – por conta de pressão alta provocada pelo estresse. A decaída na saúde, disse, foi por causa das investidas constantes, até com ameaça – de pessoas buscando facilidades, sem sucesso. Pessoas acostumadas com a cultura do “jeitinho”.

Mário Louzada foi muito autêntico ao enfatizar que existe uma tradição perversa ligada a grupos considerados “imexíveis” em detrimento dos direitos iguais, sem furar fila. Não escondeu que as próprias repartições públicas funcionam fora da legislação, como a ausência de estacionamentos. “Quem exige o cumprimento da lei, não anda na lei”.

Mesmo com todas as mazelas acumuladas, o secretário acredita que em quatro anos o prefeito Victor Coelho (PSB) conseguirá fazer de Cachoeiro um lugar melhor de se viver. Referiu-se ao novo estacionamento rotativo; ao plano de mobilidade urbana; criação de novo Plano Direto Urbano; e mencionou até a um plano de cargos e salários decente para os servidores.

Sobre assédio de corruptores, ressaltou ao vivo que não sucumbirá às investidas e que essa gente estava mal acostumada. Disse que tem nas duas secretarias mais de 600 notificações do Ministério Público, a maior parte delas da administração anterior por não cumprimento de TACs e pedidos de informações.

Anúncios