Tudo gira. A cabeça pira. Fora de razão vem um arranhão. Unhas que cortam. Almas que não se importam. Construção de palavras. Ninho de larvas.

A cabeça pira. Dói quando respira. Deus é clamado. Mas, você não é amado. Quem se importa quem vem entrando pela porta. É a ira. A cabeça pira.

O corpo cansa. De longe vem a lança. A ferida abre. A pele sangra. Tudo gira. A cabeça pira. O vermelho marca. Os olhos fecham e o universo conspira.

A cabeça gira. Uma vida forjada na birra. Bizarra noite. Só porque a mente pira. A criança fica só. Ninguém tem dó. Uma boca fala. O ouvido não ouve.

O dia não vem. As sombras assombram. Corte no pulso. A cabeça pira. A terra gira. A idade passa. Vem logo o espectro. Calafrio. É o canoeiro no nevoeiro.

A cabeça pira. O sono não vem. Os sonhos não convém. Não tem salão. Não tem dança. Só o vazio cheio de nada. O espírito gira. A cabeça pira.

O filme passa. No piscar de olhos. O personagem grita. É a cabeça que pira. É tronco que gira. A respiração não alivia. Ninguém sabia. Ninguém via.

A cabeça gira. O criador cria. O espaço passo a passo. No infinito. em qualquer lugar. A cabeça pira. A unha perfura a carne. O perfume exala.

Amarrado em pensamentos. O fantasma aparece. Levita. É a cabeça que pira. Sua áurea que gira. Veio levar a alegria que a doença tira.

A cabeça pira. As costas queimam. A glande gira. Os nervos embolam. A cabeça pira. O acasalamento esfria. O sentimento se atira. A cabeça pira.

Anúncios