Em resposta à crítica assinada pelo jornalista Jackson Rangel Vieira, o deputado federal Lelo Coimbra (PMDB) não entra no mérito subjetivo e responde com 13 pontos de justificativa pelos quais seu voto vou “sim” pelo relatório que recomendava o não prosseguimento da denúncia contra o Presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Caro Jackson,

Apresento minha posição e motivação, para teu conhecimento.
Não tenho quaisquer vínculos com sacanagem em Brasília, ou compromissos com arranjos que não possa esclarecer. Minha postura é em função do que vivencio neste complexo momento.

1- O país enfrenta uma grave crise econômica, herdada dos governos anteriores e que resultou em mais de 14 milhões de desempregados.

2- É fato que desde que Temer assumiu (maio de 2016), a situação deixou de piorar.

3- A economia dá sinais de recuperação, pelos seus índices, em especial a empregabilidade.

4- O déficit fiscal exige decisões duras e os ajustes estão sendo construídos para garantir o equilíbrio nas contas públicas.

5- Não podemos colocar o País em um ambiente de incertezas e jogar por terra o esforço da sociedade e do governo, que nos possibilitou construir um rumo de estabilização para nossa economia e instituições.

6- Essa decisão, caso de admitir a investigação, tem as seguintes consequências:
a- 30 dias para o STF admitir se acata ou não (o que estamos votando aqui é se autorizamos ou não);
b- se aceito, teremos seis meses de interinidade na Presidência;
c- se evoluir negativamente para o Presidente, 30 dias para eleições indiretas (não há possibilidades legais de eleição direta). A fala de “diretas já” é apenas para o embate político;
d- eleição congressistas, posse e composição de governo, 15 a 30 dias;
e- estamos falando de 8 a 9 meses, março/abril/2018;
f- em 05/04/2018 teremos o afastamento dos cargos para quem for disputar as eleições de 2018.

7- É desse ambiente de incertezas que falo. Nosso quadro econômico e institucional não segura essa barra por 8 a 9 meses.

8- Ao rejeitar a abertura de investigação contra o presidente, isso não significa barrar a investigação contra Temer, que poderá ocorrer ao término imediato do seu mandato.

9- O foco, portanto, é na manutenção e no fortalecimento de um ambiente que garanta a estabilização política para a continuidade das necessárias decisões na economia.

10- Portanto, a decisão que estamos adotando busca o caminho mais sensato e correto para prosseguir no enfrentamento dos nossos desafios e não colocar o Brasil em uma aventura de consequências imprevisíveis. O país precisa seguir avançando.

11- Esperamos que o próximo governo, que tomará posse em janeiro de 2019, seguramente estará recebendo o Brasil em melhores condições e poderemos ter um grande e importante debate sobre os projetos para nosso País.

12- Não há caminho fácil para superar esse momento e os muitos desafios que nos exigem tomadas de posições nessa turbulência.

13- Espero que as motivações e posição que te esclareço possam encontrar atenção de tua parte.
Um fraterno abraço,
Lelo Coimbra

Anúncios