Dois deputados que aprovam a corrupção


Os deputados federais Lelo Coimbra (PMDB) e Marcus Vicente (PP) ficam como quadro pendurado na parede da vergonha política capixaba ao votarem pelo não prosseguimento da denúncia do presidente Michel Temer (PMDB). Ambos, sem dúvidas, com esta profanação, venderam suas almas para garantir a reeleição em 2018.

A Imprensa Internacional acusou o Câmara Federal de estar em “frangalhos”. Foi nojento ver os dois sem espinhas vertebrais ante a máquina do poder central, como milho jogado ao terreno de galinhas. Para encher o papo. Os formadores de opinião já previam os vendilhões blindando a corrupção e a quadrilha instalada em Brasília.

Quanto ao Lelo Coimbra, este nunca teve vergonha de praticar a política tacanha, agachada para o governador do Espírito Santo, PH. Como líder do Governo e correligionário peemedebista, sua sanha não pode nem ser vista como surpresa. Trata-se de cumprimento de ordem da mais assassina contra os eleitores e procuradores do mandato.

Já o deputado Marcus Vicente já visto como voluptuoso tomador de bola no campo político. Elege-se por repasses da CBF e muito dinheiro da JBS, via o partido nacional que está mais sujo do que poleiro de galinha. Enquanto está na engorda, desfragmentando o PP do ES, o futebol capixaba – sua bandeira – está em inanição no limbo da série D.

Em síntese, pela estabilidade, pode roubar. Está foi a tese de todos que livraram o Presidente da República da investigação das práticas de corrupção.

16686972223_537aea6e29_b

Quadrilha sem pudor. Atentado contra a Pátria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s