Por Jackson Rangel Vieira 

PPAPKEAIOAZ2016042617121326042016.png
Deputado Marcos Mansur (PSDB) tem o direito e dever de tentar ajudar Cachoeiro

Chamou-me atenção o artigo do meu colega jornalista Ilauro de Oliveira. Gostei de seu ponto de vista sobre a necessidade do deputado estadual Marcos Mansur (PSDB) permanecer na Assembleia Legislativa, como sendo mais útil para Cachoeiro-ES, não quebrando o mandato. Gosto de ler uma boa análise. Mas, discordo dela!

Ora! É como uma partida de futebol, você joga de acordo com as regras. A lei proíbe? Não! Os legisladores entenderam ser justo a disputa em qualquer eleição o cidadão e o mandatário por outro cargo, também não! A valer, com esse sistema política, a visão apenas da lógica e suposto senso moral, a maioria  do políticos estaria condenada.

Ninguém escreveu condenando as queimas de etapas do falsário Magno Malta (PR), que de vereador foi a senador, passando de vereador a deputado estadual e chegando a senador em 10 anos de política. Ninguém até , agora, fez nenhuma observação de que o deputado Rodrigo Coelho (PDT) deixou o mandato para ser secretário de Governo do ES.

Considerando um pleito de oito candidatos e eleitor reclamando da qualidade dos candidatos, eu diria que a inserção de Mansur no pleito só valoriza a disputa e oferece melhores opções ao eleitorado. É uma falácia dispensar a colaboração do deputado no processo. Se Ferraço viesse à disputa ou Rodrigo, a forçação de barra neste sentido ficaria oculta. É um palpite. Não acredito em preconceito pelo fato de sua vida eclesiástica ativa.

Agora, se a análise é por convicção ideológica ou até por interesse por torce por este ou aquele – levando em conta que o parlamentar é forte candidato a polarizar a disputa -, eu não daria volta. Já emitia logo meu apoio ao meu preferido sem a falsa desculpa da “imparcialidade”, demolindo o resto nas suas fraquezas. E, meu amigo, o que tem de candidato com Calcanhar de Aquiles em Cachoeiro-ES!

Respeitosamente, contrariando o direito legítimo de opinar sobre quaisquer questões do meu amigo Ilauro, considero até fundamental a participação democrática do deputado que já tem jornada respeitável na vida pública. Não tenho candidato a prefeito, ainda. Quando o tiver, até revelarei. Agora, falar que ele é mais importante no parlamento é uma emenda pior do que o soneto. Aquilo lá é para desconstruir uma liderança política em detrimento da carência do seu Município. Prefiro ele aqui!

Agora, sobre minha visão sobre o sistema político em voga? Uma desgraça. Defendo a reforma com essa obrigatoriedade, do mandatário cumprir todo mandato; a proibição de qualquer mandatário assumir cargos comissionados durante o mandato – claro que se a primeira hipótese fosse aprovada, a segunda inexistiria de se reportar a ela – ; e o voto não obrigatório. Por ora, porém, enquanto o sistema não muda, aceitemos suas amplitudes.

Então, deputado Marcos Mansur, vem de volta, que Cachoeiro precisa de lideranças qualificadas! A urna punindo ou gratificando!

Anúncios