Nas redes sociais, mesmo longe do calendário eleitoral pós convenções, os mais politizados estão debatendo nomes possíveis. Em Cachoeiro de Itapemirim-ES, com a ausência do deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM), o mais provável é a inserção do ex-prefeito do Município, José Tasso Andrade, com o diferencial de ser, talvez, o único com experiência de administração pública executiva.

Tasso, filho do ex-prefeito dos anos 60 Raymundo Andrade, com dois mandatos de deputado estadual, um de deputado federal e 1 de prefeito, além de ex-presidente da Escelsa antes da privatização, tem no currículo o perfil inquestionável de candidato pronto do que fazer ao sentar na cadeira de prefeito se eleito. Os concorrentes, que eu saiba, não alcançam ele no quesito credenciado e preparado para governar uma cidade falida.

O ex-prefeito José Tasso pode levar a vantagem da experiência para administrar Cachoeiro-ES
Tasso pode levar a vantagem da experiência para administrar Cachoeiro-ES

Seu maior concorrente, se fosse hoje, seria o deputado estadual Rodrigo Coelho (PT). O parlamentar tem alguns problemas além de neófito para o cargo. Está no partido mais odiado do País e , para piorar, morou alguns meses em Cachoeiro por força da ocupação da função de Secretário de Governo do prefeito, ainda, Carlos Casteglione, companheiros no Partido do Trabalhador. Ele é dito como forasteiro oriundo de Bom Jesus do Norte.

Fato positivo para José Tasso, que hoje cuida da sua vida particular, filiado no PMDB, é sua condição de opositor ao PT desde quando ambos, Rodrigo e ele, eram deputados com discussões acaloradas. Fato negativo é o seu companheiro de partido, Roberto Valadão, que tem preferência em apoiar Ferraço; e do governador Paulo Hartung –  quem manda no PMDB no Estado pelo federal Lelo Coimbra-  que não externa simpatia pelo peemedebista em decorrência de sua fidelidade ao ex-governador José Ignácio até ao final do mandato, lealdade não vista como virtude.

José Tasso é a alternativa da experiência, que está no campo da hipótese, mas Cachoeiro terá candidatos para todos os gostos, doces e salgados. Agora, ainda sobre José Tasso: ele pode virar um fenômeno à semelhança do que ocorreu com Valadão contra Jathir Moreira, apoiado na época por uma gestão decadente de Ferraço. O povo não queria arriscar naquele tempo em um principiante para o Executivo. Só lembrando que a história pode se repetir.

Anúncios