O prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES, Carlos Casteglione (PT) e a empresa CoopeSerrana se especializaram em ludibriar o Ministério Público e o Poder Judiciário com contratos sem licitação para transporte de alunos da rede municipal. O ano passado inteiro operaram sem licitação a pretexto de que a Justiça recusou o primeiro edital por erro e nessa fraude se fundamentam para movimentar milhões.

Não bastasse a afronta anual de 2013, iniciaram 2014 celebrando contrato em fevereiro e ,agora, aditivo de  R$ 2.497.307,76 (dois milhões, quatrocentos e noventa e sete mil, trezentos e sete reais e setenta e seis centavos), por prazo de 120 dias. O MP está auditando os contratos com muita dificuldade. O aditivo é muito maior do que o contrato original.

O prefeito e esta enigmática empresa desafia a luz do dia. É notória o motivo de sua presença no Município. Abrigar aliados e pagamento por fora.

Para não ser chato em narrativas diversas, vai ai em rosto do MP e Justiça a capacidade desavergonhada dessa parceria com dinheiro do contribuinte. Os responsáveis deveriam ser presos! A cópia do aditivo publicado hoje (4) no Diário Oficial:

Imagem

 

Anúncios