Só Magno Malta pode virar o jogo sucessório do ES

Posted on 03/04/2014

0




Acerca de todas as declarações, agora, mais afirmativas da candidatura de Paulo Hartung (PMDB-ES) ao governo do Estado, só existe um elemento surpresa que mudaria o plano estratégico do PMDB e PT: chama-se Magno Malta, senador pelo PR que tem sonho em se candidatar a presidente da República.

Somente com o dinheiro em caixa, muito dinheiro mesmo tem, para distribuir aos prefeitos não garante a reeleição do governador Renato Casagrande (PSB). Sem carisma, com governo razoável para ruim, sem digital e com PMDB e PT fora de suas alianças,é mais do que temerária qualquer teimosia. Sua reeleição seria uma aventura.

Mas, como mencionei no início do texto, numa possibilidade de aliança com Magno Malta – discriminado pela elites do ES, desdenhado pela Imprensa capixaba-  somente ele, poderia dar uma virada de mesa. Não sou psicólogo político, mas Hartung sempre teve medo desse espectro de origem baiana. Os votos do republicano parecem vir pelo vento. Ressuscita como fênix, do nada.

E Magno Malta, pelo que conheço, pode está afeito a um acordo com o governador, desde que na aliança a reeleição de sua esposa, Lauriete (PSC-ES) esteja incluída. Senão, nada feito. Hartung só tem um adversário no Estado, desligado de quaisquer agenda do mercado: ele responde pelo nome Magno Malta. E não precisa formar chapa, não! Basta a eleição fica formatada em três candidaturas. Hartung, acho, levaria a pior. Ficar a dica!


 

 

Anúncios