Pesquisas e Folha do ES

Posted on 11/10/2012

0



Por Jackson Rangel Vieira

Pesquisa de mercado ou eleitoral sempre foi um assunto de discussão coletiva, principalmente, quando existe disputa. Quem está atrás ou com índice em decadência, não acredita e sua assessoria muito menos. Contudo, quem produz este serviço de retratar o momento cientificado tem de conviver com os contraditórios.

O Instituto LEIA, paixões a parte, fixou-se como referência até para institutos da Grande Vitória. Aguardavam a divulgação para fazer o cotejo da realidade, com receio da contestação legítima. LEIA produziu muitas pesquisas para consumo próprio de candidatos do sul e até de Marilândia, com acerto de 100%. Em toda sua existência, a verdade dos números!

Sobre Cachoeiro de Itapemirim-ES, sede da Editora, com uma eleição plebiscitária, entre dois candidatos, a última divulgação cinco dias antes das eleições deu 6% de vantagem, com margem de erro de 3,25. Ora, quem não sabe que este resultado, com tal intervalo de confiança significa empate? Para menos ou para mais, o índice oferecido é  cerca de zero por cento no encontro das pontas.

Com tudo, poucos sabem fazer leitura de margem de erro. Os correligionários de candidatos olham quem está na frente mesmo sendo 0,1% a vantagem. E pesquisa não ganha eleição. Ela fica desacreditada se ultrapassar a margem de erro ou uma divulgação muito defasada, com o resultado das urnas desmentido todo prognóstico do retrado.

A Folha do ES/LEIA tem de comemorar os resltados pela lisura como conduziu seu trabalho de campo nesta prestação de serviços. Nenhum cliente, mesmo com números adversos, ficou insatisfeito. Viram relatórios com estratificação coerentes, sem anomalias, com demarcações para quaisquer averiguações.

A credibilidade é a marca da permanência deste mercado. A LEIA avançara em outros campos, prestando serviços de extrema confiança nos sites, nas redes sociais, no impresso e nas pesquisas científicas.

Anúncios