A maior surpresa eleitoral de Cachoeiro de Itapemirim-ES

Posted on 11/10/2010

0



Sem dúvida, a maior surpresa eleitoral de Cachoeiro de Itapemirim, quinto maior colégio eleitoral do Espírito Santo, foi a candidatura do médico Abel Santana. Seu pai já foi prefeito e político da época do coronelismo nos anos 60. Foi lançado pelo Partido Verde para deputado federal e conseguiu quase 30 mil votos, sendo 20 mil somente no seu reduto.

A surpresa se dá mais pelo aspecto do imediatismo. Não chegou a ser de última hora, mas foi anunciado dentro do jogo eleitoral. Obteve adesão do deputado reeleito Theodorico Ferraço (DEM) que teve motivação mais pessoal do que política. Foi o troco dado a Camilo Cola (PMDB), que não chegou a 30 mil votos na sua terra e nem foi reeleito.

Ferraço sempre manteve rixa política com o deputado federal e empresário do Grupo Itapemirim a longas datas. Ficou insatisfeito com Camilo se elegeu com 41 mil votos e ele com 29 mil, na eleição passada, sem mencionar o engajamento do parlamentar na vitória do petista Carlos Casteglione, vencendo o movimento ferracista.

Por ironia do destino, Camilo Cola, em recente entrevista exclusiva à revista LEIA, não demonstrou mágoa contra Ferraço, mas, justamente, com o prefeito, alegando descaso com suas emendas federais para o Município de Cachoeiro de Itapemirim. O assunto, ainda, rende. Casteglione não aceita esta acusação.

Voltando ao médico Abel Santana, com certeza, vai se arvorar para disputar as eleições em 2012 para prefeito. Está credenciado pela votação. Trata-se de reconhecido e renomado nome do Município. Um cidadão aglutinador, porém tímido. Ele precisará conversar com todas as forças políticas, e formador de opinião, para conseguir tal êxito.

Olhando o quadro a distância, a eleição será interessante pelas novas peças no tabuleiro. Entra no jogo o deputado eleito, vereador Glauber Coelho (PR), com apoio de Magno Malta; o próprio Ferraço (DEM), com apoio do senador eleito com maior votação do ES, Ricardo Ferraço(PMDB); Abel Santana como o novo de tradição política; e o próprio prefeito que vai buscar credenciamento para chegar à forma política, se possível com Dilma Roussef presidente. Bem, nada impede que o próprio Camilo Cola invoque e venha, em vez de apoiador, como protagonista! Sabe-se lá!

Anúncios