A polícia federal e MP desbarataram quadrilhas nos últimos anos dignas de respeito ao trabalhador da sociedade capixaba. O Poder Judiciário teve de abrir a caixa preta, punindo os maus magistrados, na operação Naufrágio. Passou o rodo nos fraudadores do comércio de café. Pula-se para as operações “Moeda de Troca” e “Gênova”. O crime não compensa.

Sobre o poder Judiciário, com muitas exceções de magistrados limpos e verdadeiros sacerdotes, na cúpula habitavam “deuses” que macularam o Poder Judiciário. Homens preparados para vender sentenças e se enriquecerem ilicitamente, conjugados com bancas criminosas de advocacia premiada. Nada oculto para os bem informados nos bastidores.

O medo de denunciar foi, aos poucos, sendo aniquilado pela coragem da Imprensa e das instituições responsáveis em preservar o estado de direito e fiscalizar o bem público. Quadrilhas se instalaram dentro de retomas do poder econômico, lesado o Estado e o contribuinte. Em síntese, o café Conilon estava brocado de corrupção velada.

A operação “Moeda de Troca”, a mais recente, era de conhecido público, onde seus tentáculos Alcançavam em vários Municípios. Empresas fraudando licitações, desde laranjas até organizadores de festejos, tudo dentro de um só núcleo doentio. Este jornal, em Cachoeiro de Itapemirim-ES, há seis anos havia denunciado. Impactante!

“Moeda de Troca” fazia parte de esquema de empresas prestadoras de serviços a Prefeituras, para promover árvores de propinas para alimentar políticos e elegê-los. A casa caiu! A empresa Impacto, associada a CRTVV e outras criadas como apêndices, formou um pool de degradação do serviço público, corrompendo seus agentes públicos.

Já o Setor de Mármore e Granito passa pelo maior vexame da história das Rochas no Espírito Santo. A operação Gênova desmascara a imagem maquiada dos empresários, com muitas exceções, que se enriqueceram na base de fraudes de toda ordem tributária, fiscal, cível e penal. O Sindirochas, que até ontem não prestou esclarecimento, pode estar envolvido!

Estes macetes de bandidagem empresarial quebram a corrente econômica, trazendo muitos prejuízos para a economia municipal e estadual Mas, a bem dos honestos, faz-se necessário este descerramento do sepulcro caiado. O momento é de extrema gravidade. Como jornalista, prevejo em outras searas mais desvendamento de sujeiras ocultas.

Como jornalista, estas ações me renovam, pois vale a pena continuar a luta sem a solidão depressiva que ãs vezes nos acomete.

Anúncios