O presidente da Comissão Processante, vereador Roberto Bastos (PMN), que investiga prática de “rachid” da parlamentar, Arlete Brito (PT), foi afastado da função pelo Juiz Robson Louzada a pedido do Ministério Público por ter um caso, diferente, mas envolvendo denúncia de uma ex-funcionária no tempo de secretário de Habitação, em 2007, na gestão do prefeito Roberto Valadão (PMDB)

A decisão ocorrreu no final da sexta-feira, dia 26, quando o trabalho da Comissão Processante já havia terminado com o depoimento na parta da tarde da vereadora Arlete Brito. Na segunda, o presidente David Loss, tomará conhecimento oficialda do pedido judicial de afastamento e outro presidente será indicado. Na semana que vem, o relator vereador Luizinho Tereré (DEM) já apresentará o relatório para ser votado.

O juiz não aceitou o pedido de afastamento do vereador Roberto Bastos feito pelo Ministério Público, requerido na mesma ação, pois deverá seguir o rito processual normal, com direito a defesa, considerando nuances diferenciadas, com denúncia até de chantagemde advogado contra o parlamentar na época.

 

Anúncios