Recente estudo divulgado pela AAAS (Associação Americana para o Avanço da Ciência) afirmou que os idosos precisam dormir o mesmo número de horas a que estavam habituadas quando adultos. Um dos motivos para recuperar a disposição do sono é que quanto maior o número de horas bem dormidas, menor é o deficit cognitivo.

Nos testes aplicados pelos especialistas da Universidade da Califórnia, foi constatado que a quantidade insuficiente de sono está relacionada com o baixo funcionamento cerebral, ao observar que os idosos que dormiam menos horas por dia apresentaram mais dificuldade para memorizar uma lista de substantivos.

O recomendado pelo Instituto do sono é que o idoso durma, no mínimo, entre sete a oito horas, uma vez que o seu sono é naturalmente mais fragmentado por causa do envelhecimento. Com isso, o REM (fase do sono onde se consolida a memória e concentração e responsável pelos sonhos) fica deteriorado, fazendo com que a atenção e a percepção fiquem menos aguçadas. 

 

Fonte: Neurofisiologistas, Instituto do Sono, AAAS

Anúncios