O governador Paulo Hartung (PMDB) não se lembra o último revés político, acho, pela situação privilegiada em que se encontra com aprovação elevada como gestor majoritário do Espírito Santo. Mas, a última pior derrota foi na convenção do PSDB, quando perdeu para o então pré-candidato e depois governador José Ignácio.
A introdução pode parecer nada a ver com o presente, mas tem. O governador tem seus medos e o maior deles não é fracassar em fazer o sucessor, mas o de não ser o político mais votado para o senado, o que deixaria de lhe conferir o título de maior líder do Espírito Santo, candidato a ministro de qualquer seja o presidente eleito. Vendo por este lado, ele pode atrapalhar Ricardo Ferraço, do seu partido, perder a eleição para governador. Inclusive, suas mixidas no taboleiro são questionáveis, a pretexto de ajudar seu vice ser viabilizado.
Não de modo premeditado abdicaria do desejo de fazer o sucessor, mas a cegueira do próprio poder pelo poder, na ânsia de afastar seus medos e fantasmas, o descontrole já tem indícios. Um dos monstros é o senador Magno Malta (PR), que enigmático na forma de fazer política, ninguém consegue enxergar seus pecados, somente os que sabem discernir espíritos. Paulo Hartung não entende essa linguagem espiritualizada para espantar o polivalente republicano. Entende de realidade e de pragmatismo, mas não de “missianismo com predestinação”.
Com essa resumida análise, Paulo Hartung, a partir de abril terá de olhar para o retrovisor se o “caçador de pedófilo” não está no seu cangote, e com isso, Ricardo Ferraço terá de se virar sozinho e, talvez, numa situação embaraçosa de administrar as vaidades, inclusive, as dele. Essa experiência Ferraço teve quando perdeu para o Senado para o mesmo Magno e Camata, este pode ser considerada uma vítima política do pastor e cantor evangélico.
Se o jogo for para o segundo turno, digo, sem receio, será muito difícil para o vice-governador alistar maior número de aliados do que pretende para o primeiro turno. E pior, se depressivo, como ficou com a perda da convenção tucana, Paulo Hartung tiver votação aquém do esperado, mesmo vencendo uma das duas vagas, tudo será muito desesperador para o cachoeirense Ricardo Ferraço. Se alguém dúvida, copie e guarde este artigo e depois coteja para ver se ficou longe da realidade. Escreve alguém, sem falsa modéstia, que sabe discernir espíritos.

Anúncios