Quem pensa que a Constituição Federal segue o princípio de Montesquieu, com poderes independentes e harmônicos é um romântico ou hipócrita. O Poder Legislativo é o único poder dos Três que não tem independência. Em linhas gerais,
Seus membros dependem da benevolência do executivo, no vício do fisiologismo de origem longínqua.
O parlamentar, geralmente, tem parentes empregados no Executivo e recebem se aliado, benefícios como indicador de obras para sua comunidade. Nada de novidade. Mas, para o contribuinte é um assalto praticado por estes mandatários que deveriam produzir leis e fiscalizar o Executivo.
Com raras exceções, não só surrupiam no próprio poder os cofres não transparentes como o fazem em conchavo com os agentes do Executivo. O Poder Judiciário tudo assiste porque só age se provocado, mas é a Instituição mais independente do tripé democrático.
É até engraçado, aonde o prefeito ou presidente vai, os vereadores e parlamentares vão atrás, como no ditado popular cantado: “aonde o boi vai, a vaca vai atrás. E para os eleitores, uma banana. Os casos de Sarney e outros são provas mais recentes da república dos “amigos’ e seus interesses.

Anúncios