O PODER ECONÔMICO SUCUMBIU AO TRE-ES E ESPERA-SE AO TSE. CRIMINOSOS FICARAM NÚS
O PODER ECONÔMICO SUCUMBIU AO TRE-ES E ESPERA-SE AO TSE. CRIMINOSOS FICARAM NÚS

A “corte de Iconha” ficou nua Estive no campo de batalha política em Iconha. Poderosos de um lado e a o povão do outro. A tradição de décadas, para manter o status quo se valeu de uma máquina trituradora do poder econômico. Predadora. Inibidora e refratária. O eleitor era constrangido pela “corte” tirana vigente, com o juiz eleitoral, covardemente, vendido, com sentenças incestuosas. A luta parecia inglória. Contudo, o tempo é o senhor da razão, mesmo. A Justiça foi feita e o poder econômico aniquilado no TRE. Nova eleição será marcada e os mercadores de votos, Delson Mongin e João Paganini, prefeito e vice, respectivamente, cassados, vão para casa como exemplo a não serem seguidos por nenhum homem público. Ficam inelegíveis por três anos. Edelson Paulino foi resgatado na sua honra ultrajada por essa politicagem do dinheiro contra o povo trabalhador. Iconha, cidade eu fica entre Cachoeiro de Itapemirim e a capital, Vitória, fica livre do fantasma de cidade sem lei, sem ordem, pro omissão de autoridades, infelizmente, comprometidas com o Poder Econômico. Iconha foi liberta da malignidade que corrói a alma de seu povo. Edelson Paulino, honra seja feita, manteve-se confiante, equilibrado no tocante à Justiça. Não se trata de cor, de amarelo contra vermelho ou vice versa, mas da verdade vencendo a mentira. Espera-se, agora, com nova eleição, as regras sejam claras. O Juiz local, obviamente, seja outro para não contaminar o pleito. E não se sabe quem serão os candidatos, mas a lição aprendida, certamente, incentivará gente de bem, que pensa em Iconha não como curral eleitoral, mas como aldeia que merece ser cantada pelos seus poetas e povo de sangue azul, herdeiros legítimos da nobre corte da decência.

Anúncios